The Commonweal

The Commonweal


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Em dezembro de 1884, William Morris, Walter Crane, Eleanor Marx, Ernest Belfort Bax e Edward Aveling deixaram a Federação Social-democrata e formaram a Liga Socialista. Fortemente influenciado pelas ideias de Morris, o partido publicou um manifesto onde defendia o socialismo revolucionário internacional.

William Morris acreditava que a principal função de todas as organizações socialistas era "educar o povo". Portanto, foi decidido que a Liga Socialista deveria publicar um jornal chamado Commonweal. Financiado por um empréstimo de £ 300 de Morris, o jornal mensal apareceu pela primeira vez em fevereiro de 1885 declarando que tinha "um objetivo - a propagação do socialismo". A primeira edição de Commonweal teve oito páginas de 15 por 10 polegadas e vendeu mais de 5.000 cópias.

o Commonweal permaneceu um jornal mensal até que mudou para um semanário em maio de 1886. Embora o jornal empregasse os talentos de escritores e ilustradores como William Morris, Walter Crane, Eleanor Marx e Edward Aveling, as vendas foram decepcionantes. Durante disputas industriais, como a greve dos Dockers de Londres, as vendas aumentaram, mas caíram logo depois. o Commonweal, com vendas entre 2.000 e 3.000 cópias por semana, custava a William Morris cerca de £ 500 por ano. Em 1895, Morris aceitou a derrota e o Commonweal cessou a publicação.

Tenha coragem e acredite que nós, desta época, apesar de todo seu tormento e desordem, nascemos em uma herança maravilhosa formada pela obra daqueles que nos precederam; e que o dia da organização do homem está amanhecendo. Não somos nós que podemos construir a nova ordem social; as eras passadas fizeram a maior parte desse trabalho por nós; mas podemos clarear nossos olhos para os sinais dos tempos, e então veremos que a obtenção de uma boa condição de vida está sendo feita

possível para nós, e que agora cabe a nós estender as mãos e tomá-lo.

E como? Principalmente, penso, educando as pessoas no sentido de suas reais capacidades como homens, de modo que possam usar para seu próprio bem o poder político que está rapidamente sendo imposto a elas; para fazê-los ver que o antigo sistema de organização do trabalho para o lucro individual está se tornando incontrolável, e que todo o povo agora tem que escolher

entre a confusão resultante do colapso desse sistema e a determinação de assumir o controle do trabalho agora organizado para o lucro, e usar sua organização para o sustento da comunidade: fazer com que as pessoas vejam que os produtores individuais de lucro não são uma necessidade para trabalho, mas um obstáculo a ele, e isso não só ou principalmente porque eles são os aposentados perpétuos do trabalho, como são, mas sim por causa do desperdício que sua existência como uma classe necessita. Tudo isso temos que ensinar às pessoas, quando o ensinamos a nós mesmos; e eu admito que o trabalho é longo e pesado; como comecei dizendo, as pessoas ficaram tão temerosas de mudanças pelo terror da fome que mesmo os mais azarados deles são impassíveis e difíceis de se mover. Por mais difícil que seja o trabalho, porém, sua recompensa não é duvidosa. O simples fato de um corpo de homens, por menor que seja, estar reunido como missionários socialistas mostra que a mudança está acontecendo. À medida que as classes trabalhadoras, a verdadeira parte orgânica da sociedade, assimilam essas ideias, nelas surgirá a esperança e elas reivindicarão mudanças na sociedade, muitas das quais, sem dúvida, não tenderão diretamente para a sua emancipação, porque serão reivindicadas sem o devido conhecimento da única coisa necessária para reivindicar, igualdade de condições; mas que indiretamente ajudará a quebrar nossa sociedade podre de farsa, enquanto essa reivindicação por igualdade de condições será feita constantemente e com barulho crescente até que deva ser ouvida, e então, por fim, será apenas um passo além da fronteira, e o mundo civilizado será socializado; e, olhando para trás, para o que foi, ficaremos surpresos ao pensar em quanto tempo nos submetemos a viver como vivemos agora.


Comunidade da Inglaterra

o Comunidade foi a estrutura política durante o período de 1649 a 1660, quando a Inglaterra (incluindo o País de Gales) e, posteriormente, a Irlanda e a Escócia [1] foram governadas como uma república após o fim da Segunda Guerra Civil Inglesa e o julgamento e execução de Carlos I. a existência foi declarada por meio de "Um Ato que declara a Inglaterra como Commonwealth", [2] adotado pelo Parlamento de Rump em 19 de maio de 1649. O poder no início da Commonwealth era investido principalmente no Parlamento e em um Conselho de Estado. Durante o período, os combates continuaram, especialmente na Irlanda e na Escócia, entre as forças parlamentares e aqueles que se opunham a elas, como parte do que agora é geralmente referido como a Terceira Guerra Civil Inglesa.

Em 1653, após a dissolução do Parlamento Rump, o Conselho do Exército adotou o Instrumento de Governo que tornou Oliver Cromwell Lord Protetor de uma "Comunidade da Inglaterra, Escócia e Irlanda", inaugurando o período agora geralmente conhecido como Protetorado. Após a morte de Cromwell, e após um breve período de governo sob seu filho, Richard Cromwell, o Parlamento Protetorado foi dissolvido em 1659 e o Parlamento Rump foi revogado, iniciando um processo que levou à restauração da monarquia em 1660. O termo Comunidade às vezes é usado para todo o período de 1649 a 1660 - chamado por alguns de Interregnum - embora para outros historiadores, o uso do termo se limite aos anos anteriores à tomada formal de poder de Cromwell em 1653.

Em retrospecto, o período de governo republicano para a Inglaterra foi um fracasso no curto prazo. Durante o período de 11 anos, nenhum governo estável foi estabelecido para governar o estado inglês por mais de alguns meses de cada vez. Várias estruturas administrativas foram julgadas e vários Parlamentos convocados e reunidos, mas pouca legislação significativa e duradoura foi aprovada. A única força que o manteve unido foi a personalidade de Oliver Cromwell, que exerceu o controle por meio dos militares por meio dos "Grandes", sendo os Major-Generals e outros líderes militares seniores do Novo Modelo de Exército. Não apenas o regime de Cromwell quase caiu na anarquia após sua morte e a breve administração de seu filho, mas a monarquia que ele derrubou foi restaurada em 1660, e seu primeiro ato foi oficialmente apagar todos os vestígios de qualquer reforma constitucional do período republicano. Ainda assim, a memória da causa parlamentar, apelidada de Boa Velha Causa pelos soldados do Novo Exército Modelo, permaneceu. Isso levaria a cabo a política inglesa e eventualmente resultaria em uma monarquia constitucional.

O período da Commonwealth é mais lembrado pelo sucesso militar de Thomas Fairfax, Oliver Cromwell e o New Model Army. Além de vitórias retumbantes na Guerra Civil Inglesa, a Marinha reformada sob o comando de Robert Blake derrotou os holandeses na Primeira Guerra Anglo-Holandesa, que marcou o primeiro passo para a supremacia naval da Inglaterra. Na Irlanda, o período da Commonwealth é lembrado pela subjugação brutal de Cromwell aos irlandeses, que deu continuidade às políticas dos períodos Tudor e Stuart.


COMUNIDADE

Alec era um jornalista sobrecarregado. Nick era um funcionário de startups exausto. Um amigo em comum os forçou a pegar cervejas juntos e 45 minutos depois, eles tinham um novo projeto para preencher seu tempo inexistente. Nick começou a perseguir conexões para reservar convidados e Alec trabalhou longas noites produzindo o conteúdo. Alec voluntariamente mudou de emprego para uma empresa de marketing enquanto Nick era despedido de sua startup. A comunidade cresceu à medida que Nick viajava pelo mundo enquanto dormia em sofás para entrevistar convidados renomados. Depois de se inscrever para um passe de imprensa para os 2020 X Games, a ESPN aprovou sua inscrição e o

Commonwealth se tornou o primeiro podcast a receber credenciais de imprensa na história do esporte. Independentemente das coisas loucas e inesperadas que acontecem na vida de seus ouvintes, um episódio do Commonwealth sai na segunda-feira de manhã.

Inscreva-se hoje


Teatro da Comunidade

PROFISSIONAL • AO VIVO • TEATRO

para atualizações do COVID-19, clique aqui

EM BREVE As Obras Completas de Wm. Shakespeare (resumido) - hilaridade de paródia! Começa em 02/07

A temporada SPOTLIGHT já está à venda! Nosso melhor negócio: 5 shows por apenas $ 115!

Dancing Lessons - o mais improvável dos romances - vai até 29 de agosto. AGORA JOGANDO

Desde 1989, o Commonweal tem sido a principal companhia profissional de teatro ao vivo do sudeste de Minnesota. Com um repertório rotativo de comédias, dramas, musicais e muito mais, oferecemos algo para todos. Localizado na histórica Bluff Country, o Commonweal é consistentemente classificado como uma das melhores atrações em Lanesboro, MN. Drama se desenrola onde o rio raiz se curva. Junte-se a nós!


Nossa história

Volte no tempo enquanto explora como os Jogos da Commonwealth unem as nações em uma celebração colorida da humanidade.

Os Jogos da Commonwealth reúnem as nações em uma celebração colorida do esporte e do desempenho humano. Mas os Jogos evoluíram dramaticamente desde seu início em 1930.

Realizados a cada quatro anos, com um hiato durante a Segunda Guerra Mundial, os Jogos passaram de 11 países e 400 atletas a um espetáculo global de 6.600 homens e mulheres esportistas de 72 países e territórios.

Apoiados nos valores fundamentais da humanidade, igualdade e destino, os Jogos têm como objetivo unir a família da Commonwealth por meio de um glorioso festival de esportes. Muitas vezes referido como "Jogos Amigáveis", o evento é conhecido por inspirar os atletas a competir no espírito de amizade e jogo limpo.

Alguns dos momentos esportivos mais memoráveis ​​da história aconteceram nos Jogos da Commonwealth:

Nos Jogos de Vancouver de 1954, Roger Bannister e John Landy se tornaram as primeiras pessoas a quebrar a milha de quatro minutos em uma corrida que ficou conhecida como ‘Miracle Mile’.

Chantal Petitclerc tornou-se a primeira medalha de ouro em um para-esporte em 2002. Uma ocasião que marcou a primeira vez que um evento para um atleta com deficiência havia feito parte do programa oficial.

E o boxe feminino se tornou um dos pilares dos Jogos da Commonwealth em 2014, com a Team England e Nicola Adams # 8217 conquistando a primeira medalha de ouro na divisão peso mosca.

O espírito encorajador dos Jogos fez com que os atletas corressem mais rápido, saltassem mais alto e se esforçassem até o limite do que o corpo humano é capaz.

Os Jogos de 2022 serão a primeira vez que West Midlands sediará o evento, após Londres 1934 e Manchester 2002. À medida que os preparativos para os Jogos da Commonwealth em Birmingham 2022 tomam forma, West Midlands se torna parte de um legado duradouro. Um que mostra um trabalho de equipe de classe mundial, capacidade atlética e amizade.


História

Eventos antes da linha do tempo "The Commonwealth"

Durante a Segunda Guerra Mundial, Estados Unidos da América rem

Franklin D. Roosevelt como Secretário da Guerra em exercício, por volta de 1918.

permaneceu neutro no primeiro estágio da guerra até que o Império Japonês atacou Pearl Harbor nas ilhas havaianas. O presidente Franklin D. Roosevelt declarou guerra ao Japão e aos demais países do Eixo. Após um mês de declaração de guerra, o México, liderado por José Antonio Urquiza da União Sinarquista Nacional, aderiu ao Pacto do Eixo e anexou todos os países da América Central e das Ilhas do Caribe. Declarou guerra aos Estados Unidos e seus aliados em 18 de janeiro de 1941. Invadiu o Novo México, Texas, Arizona e Califórnia quando eles cruzaram as fronteiras. O presidente Roosevelt já viu que a guerra entre o México e os Estados Unidos era iminente. Ele rapidamente enviou suas forças para o sul e erradicou todas as forças mexicanas por apenas dois meses e então as forças americanas realizaram muitas campanhas ofensivas em todos os territórios mexicanos, já que os Estados Unidos têm que ajudar a Grã-Bretanha a lutar com a Alemanha nazista e os próprios Estados Unidos tiveram que lutar com os japoneses sozinhos. Após o assassinato de José Antonio Urquiza na Cidade do México em 13 de abril de 1942 e as Forças Americanas

Franklin D. Roosevelt durante sua presidência, 1943.

tomou a maior parte dos territórios originais mexicanos e territórios recentemente anexados. Estado mexicano se rendeu incondicionalmente. Os Estados Unidos, como vitoriosos, anexaram o Norte do México e as Ilhas do Caribe. O então presidente Roosevelt criou dois protetorados nos ex-territórios mexicanos chamados de Aztlan e Honduras. No entanto, deram dois países à Grã-Bretanha, que foi Belize e Jamaica, como os "presentes" que os britânicos ajudaram os americanos na guerra, enviando as Forças Especiais para assassinar José Antonio Urquiza.

Depois de um ano lutando sozinhos, os americanos iniciaram suas operações na Frente Européia, enviando aviões bombardeiros para destruir a maioria das forças na Europa Ocidental. E principalmente ajuda a Grã-Bretanha e as resistências em toda a Europa para lutar com a Alemanha. As Forças Aliadas começaram a invadir a Normandia e a Sicília em meados de 1943, com a ajuda da Frente Oriental, a União Soviética conseguiu expulsar a maioria das forças alemãs do Báltico e do [[Arquivo: Truman_initiating_Korean_involvement.jpg | polegar | esquerdo | O presidente Truman assinou para sua presidência, 12 de abril de 1945.] Frente Bielorrussa. As Forças Aliadas, com as Forças Soviéticas, iniciaram as batalhas contra-ofensivas em toda a Europa, que encurralaram a Alemanha. Após dois anos de luta, Adolf Hitler cometeu suicídio em seu bunker especial sob o Prédio do Governo quando os soviéticos entraram em Berlim e ocuparam o Reichstag para encontrar Hitler. A Alemanha, com o almirante Karl Dönitz como Chefe de Estado, se rendeu incondicionalmente às Forças Aliadas, os principais oficiais do governo nazista enfrentam as acusações criminais. Alguns foram executados e outros condenados à prisão perpétua. No entanto, o presidente Roosevelt morreu aproximadamente duas semanas antes do fim oficial da guerra na Europa, em 1º de maio de 1945. Ele foi sucedido por seu vice-presidente, Harry S. Truman.

No entanto, a Frente do Pacífico não foi encerrada porque os japoneses lutaram sozinhos, as Forças Aliadas, especialmente os Estados Unidos, enfrentavam muitas baixas militares à medida que avançavam em direção à pátria japonesa. O presidente Truman ordenou que as bombas atômicas, de um "Projeto Manhattan" secreto, fossem lançadas nas ilhas japonesas o mais rápido possível. A primeira bomba lançada em Hiroshima em 6 de agosto de 1945, deixou mais de 150.000 civis mortos na explosão. Três dias depois, a segunda bomba lançada em Nagasaki, deixou mais de 80.000 civis mortos. O imperador Hirohito ficou chocado ao ver no jornal que mais de 200.000 civis japoneses foram mortos pelos americanos. Ele não foi culpado pelos americanos por causar a morte de civis. Em vez disso, ele culpou seu governo de extrema direita, liderado pelo primeiro-ministro Hideki Tojo. Ele ordenou que os militares capturassem todos os membros do gabinete e ordenou que essas pessoas fossem executadas em frente ao Palácio Imperial. Ele estava com raiva de Tojo que causou toda a guerra com os Estados Unidos. Ele posteriormente se rendeu aos Estados Unidos e ao resto das Forças Aliadas. Ele concordou que o Japão ficará sob administração americana pelo tempo que quiserem. A guerra na Frente do Pacífico terminou oficialmente em 2 de setembro de 1945.

Ponto de divergência da linha do tempo "The Commonwealth"

Durante a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, a América venceu a guerra contra os Estados mexicanos em 1942. Os Estados Unidos anexaram a parte norte do México e as ilhas do Caribe e também criaram três protetorados americanos pelo presidente Roosevelt. Depois que a guerra acabou oficialmente como imperador japonês, Hirohito assinou o instrumento de rendição por si mesmo.

O presidente Truman declarou oficialmente a Comunidade das Nações Unidas no Congresso, por volta de 1952

Em dezembro de 1947, o presidente Truman, durante seu discurso na Câmara dos Representantes, apresentou ao Congresso o projeto de lei denominado "A Lei da Comunidade", que criava as Comunidades nos Estados Unidos. As primeiras sete comunidades são Columbia-Yellowstone, Angel, Louisiana, Rio Grande, Virgínia, Carolina e Nova York. a lei foi ratificada pelo Senado em 7 de abril de 1948. Depois que as Commonwealths foram estabelecidas por três anos, em 1951, os Estados Unidos anexaram oficialmente o Protetorado Aztlan e depois combinaram com o resto dos estados para estabelecer mais dez Commonwealths. Existem Califórnia, Nevada-Colorado, North Plains, Ohio, Nova Inglaterra, Flórida, Navajo, Aztlan, Guatemala e Caribe. O presidente Truman reconstituiu oficialmente o país dos Estados Unidos como "Comunidade das Nações Unidas da América" ​​em 1º de agosto de 1952. O presidente Truman renunciou à presidência em 12 de janeiro de 1953.

Comunidade Unida da América

Linha do tempo do estabelecimento da Comunidade das Nações Unidas de 1942 a 1953.

O estabelecimento original das Comunidades foi a Declaração de Independência Americana do Rei George III da Inglaterra e do resto do Império Britânico. Os Estados Unidos permaneceram como um país por 176 anos antes do início da Segunda Guerra Mundial e antes da presidência de Truman. Como os Estados Unidos ganharam mais terras dos ex-fascistas "Estado mexicano" durante a Segunda Guerra Mundial. O presidente Truman apresentou o projeto de lei "The Commonwealth Act" ao congresso durante o discurso na Câmara dos Representantes. Primeiro, criou sete comunidades nos Estados Unidos em 1948. Mais tarde, em 1951, o presidente Truman anexou o protetorado Aztlan e criou mais dez comunidades. A última comunidade admitida nos Estados Unidos foi Honduras, após a anexação oficial do Protetorado de Honduras. Mais tarde, em agosto de 1952. Os Estados Unidos foram reconstituídos pela maioria do Congresso e do Presidente Truman na "Comunidade das Nações Unidas da América".


The Commonweal - História

Para alguns, a Commonwealth é um remanescente desatualizado do Império Britânico - embora seja indelicado dizer isso na reunião semestral dos Chefes de Governo da Commonwealth em Edimburgo (23 a 25 de novembro).

Para seus membros, entretanto, a Commonwealth é uma associação voluntária de 50 estados independentes, cujo objetivo é promover a democracia, o bom governo, os direitos humanos e o desenvolvimento econômico.

A comunidade moderna tem suas raízes no século 19, quando o Império Britânico começou a se desintegrar. Como algumas de suas partes constituintes ganharam vários graus de independência da pátria mãe, uma nova definição constitucional de seu relacionamento com a outra teve que ser encontrada.

Na Conferência Imperial de 1926, o Reino Unido e seus domínios concordaram que eram & # 34 iguais em status, de forma alguma subordinados uns aos outros em qualquer aspecto de seus assuntos internos ou externos, embora unidos pela lealdade comum à Coroa, e livremente associados como membros da Comunidade Britânica de Nações. & # 34

Mas somente após a independência da Índia e do Paquistão em 1947 a organização definiu sua forma moderna.

Tirou a palavra britânica de seu nome, a fidelidade à coroa de seu estatuto e tornou-se um receptáculo para nações descolonizadas. O Monarca do Reino Unido, entretanto, permaneceu como o 'Chefe da Commonwealth' oficial.

Hoje, a Commonwealth tem 53 membros, compreendendo a maioria das antigas dependências do Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia. Cerca de um quarto da população mundial vive em seus países membros.

Apesar dessa estatística impressionante, a organização parece estranhamente ineficaz. Além do Secretariado da Commonwealth sediado em Londres que foi estabelecido em 1964, não tem uma estrutura formal como tal, e seus membros não têm obrigações contratuais como as existentes nas Nações Unidas, na União Européia ou na Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

Em vez disso, a Comunidade obtém sua força de sua autoridade moral. Comprometido com a igualdade racial e a soberania nacional, foi o foco da campanha contra o apartheid. A África do Sul deixou a Commonwealth em 1961, para se reintegrar apenas após o fim do apartheid em 1994.

A ética da política internacional

Um 'código de ética' formal foi adotado em 1971, quando os países da Commonwealth prometeram melhorar os direitos humanos e buscar justiça racial e econômica. Após o fim da Guerra Fria, a organização expandiu sua declaração de missão. Na reunião de Chefes de Governo de 1991 em Harare, a promoção da democracia e do bom governo foram acrescentados à lista de princípios da Commonwealth.

Todas essas idéias eram excelentes, mas a organização não tinha nenhum mecanismo ou meio para aplicá-las.

Mas há dois anos, em uma cúpula na Nova Zelândia, a Commonwealth finalmente concordou com medidas práticas para lidar com governos que violavam persistentemente esses princípios. O primeiro país a sentir a diferença foi a Nigéria, cuja adesão foi suspensa na mesma reunião.

Para poder enfrentar problemas semelhantes, foi formado um Grupo de Ação Ministerial da Commonwealth. A experiência de lidar com a Nigéria, no entanto, lançou dúvidas sobre a eficácia da Commonwealth na aplicação de seus princípios.


Avaliações

“Escrito de forma clara e acessível ao público em geral, A Saúde da Comunidade ajuda a centralizar a medicina e a saúde pública, ao lado de indústrias tradicionais como aço e mineração, na história do desenvolvimento da Pensilvânia moderna. Ao complicar a narrativa do passado da Pensilvânia e seu futuro pós-industrial, Higgins fornece um recurso importante para estudantes e cidadãos para ajudar a informar as discussões em andamento sobre o futuro da Comunidade Britânica. ”Andrew T. Simpson, Professor Assistente de História na Duquesne University

“Higgins escreveu uma história vital e necessária da saúde pública na Pensilvânia, cuja principal força é uma narrativa multidimensional e multivariada que reconhece as contribuições de mulheres, povos nativos, imigrantes e uma categoria em evolução de profissionais de saúde, de médicos a enfermeiras . Nenhuma narrativa linear do progresso científico, A Saúde da Comunidade argumenta que as influências científicas, políticas, econômicas e culturais mais amplas informam e moldam uma história fascinante. Este livro é notável por seu método de investigação e pela amplitude e profundidade da narrativa de Higgins. Ele escreve com autoridade e confiança, e os leitores serão amplamente recompensados ​​por sua perspectiva oportuna.”—Dr. Robert D. Hicks, Senior Consulting Scholar e William Maul Measey Chair de História da Medicina no College of Physicians of Philadelphia

"O título altamente acessível de Higgins provará ser inestimável para alunos e educadores ... É acessível, atraente para o leitor em geral, bem como para uma diversidade de especialistas que buscam se orientar na jornada de séculos da Pensilvânia, ao mesmo tempo que serve de modelo para estudiosos que procuram explorar e compartilhar as histórias de outras regiões e nações. " - Marca d'água


Conteúdo

A Comunidade das Filipinas também era conhecida como "Comunidade das Filipinas", [14] [15] ou simplesmente como "Comunidade". Seu nome oficial em espanhol, a outra das duas línguas oficiais da Comunidade, era Comunidade de Filipinas ([filipinas]). A Constituição de 1935 usa "Filipinas" como o nome abreviado do país em todas as suas disposições e usa "Ilhas Filipinas" apenas para se referir ao status e às instituições anteriores a 1935. [13] Sob o governo insular (1901–1935), ambos os termos foram usados ​​oficialmente. [a] [16] Em 1937, o tagalo foi declarado a base de um idioma nacional, [3] em vigor após dois anos. O nome oficial do país traduzido para o tagalo seria Kómonwélt de Pilipinas (localmente [pɪlɪˈpinɐs]). [17]

Edição de Criação

A administração territorial dos EUA anterior a 1935, ou Governo Insular, era chefiada por um governador-geral nomeado pelo presidente dos Estados Unidos. Em dezembro de 1932, o Congresso dos EUA aprovou o Hare – Hawes – Cutting Act com a premissa de conceder a independência aos filipinos. As disposições da lei incluíam a reserva de várias bases militares e navais para os Estados Unidos, bem como a imposição de tarifas e cotas às exportações das Filipinas. [18] [19] Quando chegou a ele para uma possível assinatura, o presidente Herbert Hoover vetou a Lei Hare-Hawes-Cutting, mas o Congresso americano anulou o veto de Hoover em 1933 e aprovou a lei sobre as objeções de Hoover. [20] O projeto de lei, no entanto, foi contestado pelo então presidente do Senado filipino, Manuel L. Quezon, e também foi rejeitado pelo Senado filipino. [21]

Isso levou à criação e aprovação da Lei Tydings-McDuffie [b] ou Lei da Independência das Filipinas, que permitiu o estabelecimento da Comunidade das Filipinas com um período de dez anos de transição pacífica para a independência total - cuja data foi a ser no dia 4 de julho após o décimo aniversário do estabelecimento da Commonwealth. [18] [22] [23]

Uma Convenção Constitucional foi convocada em Manila em 30 de julho de 1934. Em 8 de fevereiro de 1935, a Constituição de 1935 da Comunidade das Filipinas foi aprovada pela convenção por 177 votos a 1. A constituição foi aprovada pelo Presidente Franklin D. Roosevelt em 23 de março de 1935 e ratificado por voto popular em 14 de maio de 1935. [24] [25]

Em 16 de setembro de 1935, [7] eleições presidenciais foram realizadas. Entre os candidatos estavam o ex-presidente Emilio Aguinaldo, o Iglesia Filipina Independiente líder Gregorio Aglipay, e outros. Manuel L. Quezon e Sergio Osmeña, do Partido Nacionalista, foram proclamados vencedores, conquistando as cadeiras de presidente e vice-presidente, respectivamente. [18]

O governo da Commonwealth foi inaugurado na manhã de 15 de novembro de 1935, em cerimônias realizadas nas escadas do Edifício Legislativo em Manila. O evento contou com a presença de uma multidão de cerca de 300.000 pessoas. [7]

Edição pré-guerra

O novo governo embarcou em políticas ambiciosas de construção da nação em preparação para a independência econômica e política. [18] Estes incluíam defesa nacional (como a Lei de Defesa Nacional de 1935, que organizou um recrutamento para o serviço no país), maior controle sobre a economia, o aperfeiçoamento das instituições democráticas, reformas na educação, melhoria dos transportes, a promoção de capital local, industrialização e colonização de Mindanao.

No entanto, as incertezas, principalmente na situação diplomática e militar no Sudeste Asiático, no nível de comprometimento dos EUA com a futura República das Filipinas e na economia devido à Grande Depressão, mostraram-se grandes problemas. A situação foi ainda mais complicada pela presença de agitação agrária e de lutas pelo poder entre Osmeña e Quezon, [18] especialmente depois que Quezon foi autorizado a ser reeleito após um mandato de seis anos.

Uma avaliação adequada da eficácia ou falha das políticas é difícil devido à invasão e ocupação japonesas durante a Segunda Guerra Mundial.

Edição da Segunda Guerra Mundial

O Japão lançou um ataque surpresa nas Filipinas em 8 de dezembro de 1941. O governo da Commonwealth convocou o Exército filipino para o Extremo Oriente das Forças do Exército dos EUA, que resistiria à ocupação japonesa. Manila foi declarada uma cidade aberta para evitar sua destruição, [26] e foi ocupada pelos japoneses em 2 de janeiro de 1942. [27] Enquanto isso, as batalhas contra os japoneses continuaram na Península de Bataan, Corregidor e Leyte até a rendição final das forças dos Estados Unidos-Filipinas em maio de 1942. [28]

Quezon e Osmeña foram escoltados por tropas de Manila até Corregidor, e posteriormente partiram para a Austrália antes de irem para os Estados Unidos, onde estabeleceram um governo no exílio, baseado no Shoreham Hotel, em Washington, DC [29]. Este governo participou em o Conselho de Guerra do Pacífico, bem como a Declaração das Nações Unidas. Quezon contraiu tuberculose e morreu dela, com Osmeña o sucedendo como presidente. [30]

O quartel-general principal do Exército da Comunidade das Filipinas (PCA), localizado na estação militar em Ermita, Manila, foi fechado em 24 de dezembro de 1941. Foi assumido pelas forças imperiais japonesas quando estas ocuparam a cidade em 2 de janeiro, 1942. Em outras partes do país, outros postos militares do PCA em Luzon, Visayas e Mindanao engajaram-se em ações militares contra os japoneses. [ citação necessária ]

Enquanto isso, os militares japoneses organizaram um novo governo nas Filipinas conhecido como Segunda República Filipina, chefiado pelo presidente José P. Laurel. Este governo pró-japonês tornou-se muito impopular. [31]

A resistência à ocupação japonesa continuou nas Filipinas. Isso incluiu o Hukbalahap ("Exército do Povo Contra os Japoneses"), que consistia de 30.000 homens armados e controlavam grande parte da Central Luzon [31], eles atacaram os japoneses e outros guerrilheiros não Huk. [32] Remanescentes do exército filipino, bem como americanos não renunciados, também lutaram com sucesso contra os japoneses na guerra de guerrilha. [33] Esses esforços eventualmente libertaram todas, exceto 12 das 48 províncias. [31]

O exército do general Douglas MacArthur desembarcou em Leyte em 20 de outubro de 1944, [18] assim como as tropas da Comunidade das Filipinas que chegaram em outros desembarques anfíbios. A Polícia das Filipinas foi colocada em serviço ativo no Exército da Comunidade das Filipinas e foi restabelecida em 28 de outubro de 1944 a 30 de junho de 1946, durante a libertação dos Aliados até a era pós-Segunda Guerra Mundial. Os combates continuaram em cantos remotos das Filipinas até a rendição do Japão em agosto de 1945, que foi assinada em 2 de setembro na Baía de Tóquio. As estimativas de mortos de guerra filipinos chegaram a um milhão, e Manila foi amplamente danificada quando os fuzileiros navais japoneses se recusaram a desocupar a cidade quando ordenados a fazê-lo pelo alto comando japonês. [34] Após a guerra nas Filipinas, a Comunidade foi restaurada e um período de transição de um ano em preparação para a independência começou. As eleições se seguiram em abril de 1946, com Manuel Roxas vencendo como primeiro presidente da República independente das Filipinas e Elpidio Quirino como vice-presidente. [ citação necessária ]

Independence Edit

O Commonwealth terminou quando os EUA reconheceram a independência das Filipinas em 4 de julho de 1946, conforme programado. [35] [36] No entanto, a economia permaneceu dependente dos EUA [37]. Isso foi devido ao Bell Trade Act, também conhecido como Philippine Trade Act, que era uma pré-condição para receber subsídios de reabilitação de guerra dos Estados Unidos. [38]

Levantes e reforma agrária Editar

Durante o período da Commonwealth, os fazendeiros arrendatários mantinham queixas muitas vezes enraizadas em dívidas causadas pelo sistema de parceria, bem como pelo aumento dramático da população, que aumentava a pressão econômica para as famílias dos fazendeiros. [39] Como resultado, um programa de reforma agrária foi iniciado pela Commonwealth. No entanto, o sucesso do programa foi prejudicado por confrontos contínuos entre inquilinos e proprietários de terras. [ citação necessária ]

Um exemplo desses confrontos inclui aquele iniciado por Benigno Ramos por meio de seu Sakdalista movimento, [40] que defendia a redução de impostos, a reforma agrária, o desmembramento das grandes propriedades ou haciendas, e o rompimento dos laços americanos. A revolta, que ocorreu em Luzon Central em maio de 1935, custou cerca de uma centena de vidas. [ citação necessária ]

Língua nacional Editar

De acordo com a constituição de 1935, a commonwealth tinha duas línguas oficiais: inglês e espanhol. [1] [2] Devido ao número diversificado de línguas filipinas, uma disposição pedindo o "desenvolvimento e adoção de uma língua nacional comum com base nos dialetos nativos existentes" foi redigida na constituição de 1935. [41] In 1936, the national assembly enacted Commonwealth Act No. 184, creating the Surián ng Wikang Pambansà (National Language Institute). This body was initially composed of President Quezon and six other members from various ethnic groups. Deliberations were made and in 1937, [3] the body selected Tagalog, [41] as the basis for the national language this was made effective after two years. [ citação necessária ]

In 1940, the government authorized the creation of a dictionary and grammar book for the language. In that same year, Commonwealth Act 570 was passed, allowing Filipino to become an official language upon independence. [41]

The cash economy of the Commonwealth was mostly agriculture-based. Products included abaca, coconuts and coconut oil, sugar, and timber. [42] Numerous other crops and livestock were grown for local consumption by the Filipino people. Other sources for foreign income included the spin-off from money spent at American military bases on the Philippines such as the naval base at Subic Bay and Clark Air Base (with U.S. Army airplanes there as early as 1919), both on the island of Luzon. [ citação necessária ]

The performance of the economy was initially good despite challenges from various agrarian uprisings. Taxes collected from a robust coconut industry helped boost the economy by funding infrastructure and other development projects. However, growth was halted due to the outbreak of World War II. [42]

In 1939, a census of the Philippines was taken and determined that it had a population of 16,000,303 of these 15.7 million were counted as "Brown", 141.8 thousand as "Yellow", 19.3 thousand as "White", 29.1 thousand as "Negro", 50.5 thousand as "Mixed", and under 1 thousand "Other". [43] In 1941, the estimated population of the Philippines reached 17,000,000 there were 117,000 Chinese, 30,000 Japanese, and 9,000 Americans. [44] English was spoken by 26.3% of the population, according to the 1939 Census. [45] Spanish, after English overtook it beginning in the 1920s, became a language for the elite and in government it was later banned during the Japanese occupation. [46]

Estimated numbers of speakers of the dominant languages: [41]

The Commonwealth had its own constitution, which remained effective after independence until 1973, [47] and was self-governing [13] although foreign policy and military affairs would be under the responsibility of the United States, and Laws passed by the legislature affecting immigration, foreign trade, and the currency system had to be approved by the United States president. [12] Despite maintaining ultimate sovereignty, in some ways the US Government treated the Commonwealth as a sovereign state, and the Philippines sometimes acted in a state capacity in international relations. [48]

During the 1935–41 period, the Commonwealth of the Philippines featured a very strong executive, a unicameral National Assembly, [49] [50] and a Supreme Court, [51] all composed entirely of Filipinos, as well as an elected Resident Commissioner to the United States House of Representatives (as Puerto Rico does today). An American High Commissioner and an American Military Advisor, [35] Douglas MacArthur headed the latter office from 1937 until the advent of World War II in 1941, holding the military rank of Field Marshal of the Philippines. After 1946, the rank of field marshal disappeared from the Philippine military.

During 1939 and 1940, after an amendment in the Commonwealth's Constitution, a bicameral Congress, [52] consisting of a Senate, [52] and of a House of Representatives, [52] was restored, replacing the National Assembly. [52]

List of presidents Edit

The colors indicate the political party or coalition of each president at Election Day.

# Presidente Took office Left office Festa Vice President Prazo
1 Manuel L. Quezon November 15, 1935 August 1, 1944 [c] Nacionalista Sergio Osmeña 1
2
2 Sergio Osmeña August 1, 1944 May 28, 1946 Nacionalista vacant
3 Manuel Roxas May 28, 1946 July 4, 1946 [d] Liberal Elpidio Quirino 3

Quezon administration (1935–1944) Edit

In 1935 Quezon won the Philippines' first national presidential election under the banner of the Nacionalista Party. He obtained nearly 68% of the vote against his two main rivals, Emilio Aguinaldo and Bishop Gregorio Aglipay. [53] Quezon was inaugurated on November 15, 1935. [54] He is recognized as the second President of the Philippines. [55] When Manuel L. Quezon was inaugurated President of the Philippines in 1935, he became the first Filipino to head a government of the Philippines since Emilio Aguinaldo and the Malolos Republic in 1898. However, in January 2008, Congressman Rodolfo Valencia of Oriental Mindoro filed a bill seeking instead to declare General Miguel Malvar as the second Philippine President, who took control over all Filipino forces after American soldiers captured President Emilio Aguinaldo in Palanan, Isabela on March 23, 1901. [56]

Quezon had originally been barred by the Philippine constitution from seeking re-election. However, in 1940, constitutional amendments were ratified allowing him to seek re-election for a fresh term ending in 1943. [57] In the 1941 presidential elections, Quezon was re-elected over former Senator Juan Sumulong with nearly 82% of the vote. [58]

In a notable humanitarian act, Quezon, in cooperation with U.S. High Commissioner Paul V. McNutt, facilitated the entry into the Philippines of Jewish refugees fleeing fascist regimes in Europe. Quezon was also instrumental in promoting a project to resettle the refugees in Mindanao. [59]

The Japanese invasion of the Philippines began with an invasion of Batan Island on December 8, 1941. When advancing Japanese forces threatened Manila, President Quezon, other senior officials of the Commonwealth government, and senior American military commanders relocated to Corregidor island, and Manila was declared an open city. On February 20, Quezon, his family, and senior officials of the Commonwealth government were evacuated from the island by submarine on the first leg of what came to be a relocation of the Commonwealth government in exile to the U.S. [30]

Quezon suffered from tuberculosis and spent his last years in a "cure cottage" in Saranac Lake, NY, where he died on August 1, 1944. [60] He was initially buried in Arlington National Cemetery. His body was later carried by the USS Princeton [61] and re-interred in Manila at the Manila North Cemetery in 1979, his remains were moved to Quezon City within the monument at the Quezon Memorial Circle. [62]

Osmeña administration (1944–1946) Edit

Osmeña became president of the Commonwealth on Quezon's death in 1944. [63] He returned to the Philippines the same year with General Douglas MacArthur and the liberation forces. [64] After the war Osmeña restored the Commonwealth government and the various executive departments. He continued the fight for Philippine independence. [ citação necessária ]

For the presidential election of 1946 Osmeña refused to campaign, saying that the Filipino people knew of his record of 40 years of honest and faithful service. [65] Nevertheless, he was defeated by Manuel Roxas, who won 54% of the vote and became the first president of the independent Republic of the Philippines. [63]


History of the Commonweal Collection

The Commonweal library grew from the collection of its founder, David Hoggett (1929-75), a librarian and dedicated pacifist. His early interest in pacifism and nonviolence was fostered by the 3 years he spent working in India for the International Voluntary Service for Peace where he became involved in the Bhoodan "Land gift" movement based on Gandhian ideals of working collectively for the good of the community.

David Hoggett began his collection back in England in the 1950s, after he became paralysed as the result of a fall. With his mobility restricted, he read avidly and began amassing a large collection of books and pamphlets and a diverse range of journals on aspects of nonviolent social change, peace and reconciliation. As the peace movement of the 1960s grew, David began to lend out his books to activists, students and scholars. With the help of friends, he established a postal library service and this became his life's work. At his death in 1975, this library comprised over 3,000 titles, all meticulously classified and catalogued, according to his own system.

After his death, the Trustees of the Collection found the library a new home in the library of the University of Bradford, where the first School of Peace Studies had recently been established. Thanks to the J.B. Priestley Library and the hard work of trustees, co-ordinators and many volunteers, this unique collection has been able to remain intact and to maintain its independence and autonomy. In 1997, Commonweal became a registered charity.

Over time, the Collection's dedication to nonviolent social change has expanded to include books on the causes of violence injustice and war as well as on ways to achieve social change nonviolently and to reflect the changes in the world and our perception of it.

The collection also houses a unique archive about various movements for social change and peace, much used by researchers and some graphic material, such as the original designs for the nuclear disarmament logo and sketches by Gerald Holtom for the first Aldermaston march. Enquiries about accessing archives should be directed to Special Collections.

In 2001 the sculpture "peace", by the founder's brother, Chris Hoggett, was unveiled in the library, where it is still exhibited.


Assista o vídeo: Unlimited Supply w. The Real Rick Ross. Hosted By Dope As Yola